Você está aqui: Página Inicial / Secretário-geral do Ministério da Defesa conhece centros regionais do Censipam

Notícia

Secretário-geral do Ministério da Defesa conhece centros regionais do Censipam

Servidores apresentaram o trabalho desenvolvido pelo Censipam em Porto Velho e Manaus

Por Willian Cavalcanti

Secretário-geral do Ministério da Defesa conheceu atividades do Censipam em Manaus

Secretário-geral do Ministério da Defesa conheceu atividades do Censipam em Manaus

Brasília, 03/10/2018 – O secretário-geral do Ministério da Defesa (MD), Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, conheceu, nos dias 1º e 2 de outubro, os projetos desenvolvidos pelo Centros Regionais de Porto Velho (CR-PV) e de Manaus (CR-MN). Os servidores apresentaram o trabalho realizado pelas áreas administrativa, operacional, técnica e de inteligência e deram destaque para os diversos produtos oferecidos aos parceiros locais do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

Em Porto Velho, o secretário-geral teve um balanço da gestão do CR-PV, com a demonstração de contratos e gestão de pessoal - um dos principais gargalos enfrentados. A coordenadora operacional, Ana Cristina Strava, explicou que o CR-PV tem atuação efetiva numa área com grande extensão de fronteira, forte vocação para navegação fluvial, com altos índices pluviométricos e sujeita a extremos hidrometeorológicos. Além disso, a porção sul da Amazônia é uma das mais pressionadas pelo arco do desmatamento. “Essas são características que nos distinguem dos outros centros regionais e modelam as atividades desempenhadas pelo CR-PV”, afirma Carlos Alberto Canosa, gerente regional do CR-PV.

O CRPV oferece produtos para diversos parceiros, principalmente prefeituras, Forças Armadas, secretarias estaduais e Ministério Público. Na área de meteorologia, o CR-PV realiza o prognóstico de tempo e clima, que estão disponíveis no site do Censipam para qualquer cidadão. Em conjunto com outros centros regionais, a equipe desenvolve um aplicativo em que o usuário poderá acessar a previsão do tempo por meio do celular.

“Vários órgãos viram no Censipam a oportunidade de alavancar ações na Amazônia. Nosso diferencial é a presença efetiva nos 5 milhões de km2 nessa região rica e diferente, com importância estratégica para o Ministério da Defesa e para o país”, afirma Ana Strava.

O setor de inteligência, por meio de integração das instituições do Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN), trabalha com ferramentas que oferecem informações sobre voos irregulares e garimpos ilegais na Amazônia. Já a área técnica do CRPV mostrou a infraestrutura disponibilizada em terras indígenas, unidades de conservação e outras áreas de difícil acesso. Atualmente a equipe desenvolve tecnologias para facilitar a manutenção e reduzir custos dos equipamentos.

Em Manaus, o gerente regional do CR-MN, Bruno Monteiro, apresentou um histórico da criação do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam). O Centro Regional de Manaus foi a primeira unidade do Sipam a ser construída e tem estrutura física maior que os demais centros. Também foi apresentado um balanço da área administrativa e de pessoal, que está bastante defasada.

A coordenação operacional apresentou o trabalho das áreas de meteorologia, proteção ambiental, sensoriamento remoto e sistematização de informações. A meteorologia mostrou os radares meteorológicos próprios do Censipam. Existe a intenção de que sejam instalados novos radares para aumentar a cobertura, principalmente no Acre. Além de produzir boletins e alertas para a Defesa Civil, a meteorologia do CR-MN se destaca pelo grande desenvolvimento de pesquisa e pela participação em operações militares, como a Ágata. A meteorologia do CR-MN também tem presença diária em veículos de comunicação de Manaus.

A área de proteção ambiental apresentou o Sistema Integrado de Monitoramento Hidrometeorológico (SipamHidro) e a parceria com órgãos que fornecem informações para o sistema. A intenção agora é intensificar o uso de drones para o mapeamento das áreas. Também foi dado destaque para o projeto Amazônia SAR, que realiza o monitoramento da floresta mesmo na época de cobertura de nuvens. A sistematização dos alertas está sendo operacionalizado pelo sistema SipamSAR, que será reforçado pela instalação da estação de recepção em Manaus. “Isso torna o Brasil o único país com uma antena de monitoramento exclusiva para a proteção ambiental e monitoramento de florestas”, afirmou a coordenadora operacional Paula Ena.

O setor de inteligência apresentou as técnicas de análise para monitoramento por meio de imagens de satélite. Com o uso de várias ferramentas, os relatórios produzidos pelo CR-MN possuem alto índice de acerto. Um dos destaques é a utilização de uma nova metodologia para o monitoramento da extração mineral. “O garimpo é uma das principais ameaças atuais em determinados rios amazônicos. Precisamos reforçar a nossa atuação nessa área”, afirmou o diretor-geral do Censipam, Rogério Guedes.

A área técnica apresentou o trabalho de manutenção da infraestrutura do Censipam na Amazônia. As antenas de comunicação via satélite (VSAT), por exemplo, são utilizadas nas comunicações do programa Bolsa Família e da Justiça dos Amazonas.

“Pude perceber nesses dois dias o quão importante é o trabalho dos centros regionais do Censipam. Mesmo com todas as dificuldades que pudemos conhecer, como o déficit de pessoal, o Censipam realiza atividades relevantes e oferece produtos extremamente importantes para os órgãos parceiros”, afirmou o secretário-geral do Ministério da Defesa.