Você está aqui: Página Inicial / Plano Amazônia 21/22 é apresentado na 4ª reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal

Geral

Plano Amazônia 21/22 é apresentado na 4ª reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal

Plano deverá oferecer condições de manter a eficiência do trabalho interagências e permitir o engajamento federal continuado nas ações em todo o território nacional

Por Juliana Mota

Foto: Bruno Batista/VPR

Foto: Bruno Batista/VPR

Brasília, 10/02/2021 – O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) sediou, nesta quarta-feira (10/2), em Brasília (DF), a quarta reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), que tem o objetivo de coordenar ações e políticas públicas para proteção, preservação e desenvolvimento da região.

Liderada pelo Vice-Presidente e Presidente do CNAL, Hamilton Mourão, a reunião contou com uma apresentação sobre a conjuntura nacional e internacional, destacando aspectos que possam vir a ter reflexos em ações governamentais, no âmbito federal e estadual, no tocante a atuação do Conselho na Amazônia Legal, com o apoio e colaboração do consórcio de governadores, prefeitos e municípios da Região.

“Ao longo dessa Operação que estamos realizando desde maio do ano passado, pelas fontes de análise de inteligência, fruto do trabalho do Grupo de Integração para Proteção da Amazônia, o GIPAM, nós levantamos que 70% dos crimes ambientais ocorrem em 11 municípios. Sete estão localizados no Pará, um em Rondônia, dois no Amazonas e um em Mato Grosso.”, afirmou Mourão.

O vice-presidente da República destacou as ações estratégicas prioritárias definidas no Plano Estratégico do CNAL, em conformidade com a convergência de objetivos estabelecidos pelo colegiado. “Esses 11 municípios foram elencados como áreas prioritárias, uma vez que concentrando os nossos esforços nessa região, temos condições de obter uma redução significativa desses crimes ambientais. Esse foi o eixo principal que norteou o nosso trabalho para esse Plano Amazônia, de modo que, utilizando o efetivo das agências ambientais e também da Funai, Incra e os elementos policiais a gente consiga atingir um resultado expressivo.”, ressaltou o vice-presidente.

O Plano Amazônia 21/22, apresentado em substituição à Operação Verde Brasil 2, tem quatro eixos de atuação: priorização de áreas onde a ocorrência da ilicitude pode impactar de maneira mais decisiva os resultados da gestão ambiental; aumento da efetividade da fiscalização e o fortalecimento dos órgãos; contenção dos ilícitos em conformidade com a lei; e disponibilização de alternativas socioeconômicas à população dentro do princípio do desenvolvimento sustentável.

Participaram da reunião ministros da Casa Civil; das Relações Exteriores; da Economia; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; de Minas e Energia; da Ciência, Tecnologia e Inovações; do Meio Ambiente; da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; do Gabinete de Segurança Institucional, representantes dos ministérios da Justiça e Segurança Pública; da Defesa; da Infraestrutura; do Desenvolvimento Regional; da Secretaria de Governo da Presidência da República; da Secretaria-Geral da Presidência da República; e da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

Com informações da Vice-Presidência da República

Fotos: Bruno Batista/VPR