Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Trecho de 600 km da transamazônica será mapeado

Notícia

Trecho de 600 km da transamazônica será mapeado

Sensor óptico de alta resolução do Censipam produzirá imagens de 600 km da Transamazônica e apoiará estudo técnico do Dnit

O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) produzirá imagens aéreas ópticas digitais de 600 km da Rodovia Transamazônica (BR 230), utilizando sensor óptico de altíssima resolução, o ADS-80. As imagens irão favorecer o desenvolvimento de base de dados georreferenciada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit). A partir daí, será realizado, pelo Dnit, estudo técnico desse trecho, que vai da divisa do estado do Pará com Amazonas até a cidade de Humaitá (AM). O imageamento está previsto para iniciar ainda em agosto.

Acoplado às aeronaves R35A da Força Aérea Brasileira, o ADS-80 capta as imagens durante o sobrevôo realizado no trecho determinado. Em seguida, as imagens serão descarregadas no Centro de Processamento de Imagem ADS-80 do Censipam, em Brasília. “Após o processamento são gerados ortofotos e modelos digitais de elevação, produtos que permitem extrair diversas feições, como áreas de florestas, áreas degradadas, áreas de ocupação, além de possibilitar a caracterização topográfica do trecho”, esclareceu o diretor de Produtos do Censipam, Péricles Cardim.

Segundo o analista de infraestrutura do Dnit, Raphael Borges, os produtos gerados serão importantes para construção da base de dados georreferenciada do trecho. “Essa base será fundamental para os estudos técnicos-econômicos-ambientais destes 600 km da Transamazônica”. O Dnit realizará, para maior precisão do processamento dos dados do ADS-80, apoio de campo, com coleta de pontos de controle na própria rodovia. Esses pontos serão utilizados durante o processamento das imagens, que será realizado em parceria pelos especialistas do Censipam e Dnit.

No início de 2015, o Censipam ministrou curso para representantes de parceiros no uso de imagens do ADS-80, dentre eles o Dnit.  “De forma cooperativa e integrada, os parceiros poderão atuar no processamento das imagens utilizando a infraestrutura do Censipam. O especialista de cada instituição analisa a imagem com olhar investigativo das feições ambientais de interesse específico do órgão em que atua. Por isso, sua participação no processamento é importante” disse Cardim. “Nossa política é a de contribuir para gerar conhecimento atualizado sobre a região amazônica”, complementou.

O ADS-80 é uma câmara de imageamento aéreo digital óptico de alta resolução, com características fotogramétricas, que gera imagens contínuas ao longo das faixas de voo. Possui sete sensores lineares multiespectrais que geram visadas simultâneas. As imagens digitais resultantes têm resolução de 35 cm no terreno, dependendo dos parâmetros de voo utilizados na coleta das imagens.