Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Técnicos africanos e paraguaios conhecem o trabalho de monitoramento feito pelo Sipam

Notícia

Técnicos africanos e paraguaios conhecem o trabalho de monitoramento feito pelo Sipam

{mosimage}Brasília (16/06/2011) - Conhecer o trabalho de monitoramento realizado pelo Sistema de Proteção da Amazônia foi o objetivo da visita dos participantes do 2º Curso Internacional de Monitoramento de Florestas Tropicais, na última segunda-feira (13), em Brasília. Durante o encontro, eles conheceram os produtos gerados pelo Sistema a partir de imagens de satélites, principalmente as ações relacionadas a Operação Arco Verde e ao Programa Terra Legal. Também foi explicada a atuação do órgão nas ações de combate aos crimes ambientais na região amazônica.

O 2º Curso é fruto da parceria entre a Agência de Cooperação Japonesa (Jaica), Agência de Cooperação Brasileira (ABC), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), contando com a participação de 12 técnicos de Angola, Moçambique, Cabo Verde e Paraguai. Faz parte da programação das aulas visitas as instituições brasileiras envolvidas no monitoramento da Amazônia.

Luis Tomás Sande, de Moçambique, destacou a importância da parceria entre as instituições que atuam na proteção da floresta amazônica. “Foi interessante verificar aqui a ligação entre as instituições para fazer o trabalho de monitoramento da floresta. Percebemos que a partir das imagens de satélites fica mais fácil localizar o ponto, quase em tempo real, onde está ocorrendo algum desflorestamento, o que favorece montar uma equipe multisetorial”, enfatizou Sande.

A capacitação internacional no monitoramento de florestas envolve a oferta gratuita de dados de satélites e a transferência das tecnologias para o processamento das imagens e manipulação de grandes bancos de dados no sistema Terra Amazon, desenvolvido pelo Inpe. Com estas ferramentas, os países detentores de florestas tropicais poderão implantar sistemas de monitoramento da cobertura florestal e o uso da terra, similares ao do Instituto.

Texto: Leonice Leal
Foto: Arquivo Sipam
Assessoria de Comunicação Social
Ministério da Defesa
(61) 3312-4070