Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Sobrevôos para mapear a Amazônia Legal já começaram na Cabeça do Cachorro

Notícia

Sobrevôos para mapear a Amazônia Legal já começaram na Cabeça do Cachorro

cartografia.gifO Projeto Cartografia da Amazônia, coordenado pelo Sistema de Proteção da Amazônia, já começou a ser executado com sobrevôos na Cabeça do Cachorro, no Amazonas, divisa com a Colômbia. Lá, o Exército está imageando o local que é de difícil acesso e com cobertura densa de floresta. Até dezembro serão utilizados R$ 9 milhões para a modernização da aeronave R-99B, que fará a troca dos gravadores do radar SAR.

A Marinha já está com o projeto de configuração do navio hidrográfico pronto para iniciar a construção. O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) já executou várias missões de levantamento aerogeofísico e distribuiu equipes de campo na região para iniciar os trabalhos de mapeamento geológico. “Nossa previsão é utilizar os R$ 70 milhões destinados ao Projeto da Cartografia da Amazônia nesse ano”, afirma Wougran Galvão, diretor de Produtos do Sipam. O Governo Federal investirá durante cinco anos R$ 350 milhões para concluir as cartografias terrestres, geológicas e náuticas. Desses recursos, R$ 85,4 milhões serão destinados a investimentos como a modernização dos sistemas de aquisição e processamento de dados de aeronaves especializadas em sensoriamento remoto, capacitação de recursos humanos e construção de navios hidrográficos.

Segundo o diretor-geral do Sipam, Marcelo Lopes, a proposta é acabar com os “vazios cartográficos”, contribuindo no desenvolvimento e na proteção da região amazônica. Dos 5,2 milhões de quilômetros quadrados da Amazônia Legal, 1,8 milhão de quilômetros quadrados não há informações cartografias terrestres, o que corresponde a 35% da região. Segundo ele, as áreas mais desprovidas de cartografia estão espalhadas pela Amazônia, Pará, Amapá, Mato Grosso e parte do Acre, Maranhão e Roraima.

As cartografias vão auxiliar no planejamento e execução dos projetos de infra-estrutura como rodovias, ferrovias, gasodutos e hidrelétricas, além da demarcação de áreas de assentamentos, áreas de mineração, agronegócio, elaboração de zoneamento ecológico, econômico e ordenamento territorial, segurança territorial, escoamento da produção e desenvolvimento regional. As informações ajudarão no conhecimento da Amazônia brasileira e na geração de informações estratégicas para monitoramento de segurança e defesa nacional, em especial nas fronteiras.

O projeto, lançado no dia 10 de setembro pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, com a presença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Jorge Armando Félix, durante a IV Feira Internacional da Amazônia (FIAM), em Manaus, foi discutido durante dois anos pelo Sipam e órgãos parceiros, tendo iniciado suas atividades em abril de 2008 e sua conclusão está programada para 2012. O trabalho é coordenado pelo Sipam e os executores são Exército, Marinha, Aeronáutica e o Serviço Geológico do Brasil.

Assessoria de Comunicação Social do Sipam
Telefone: (61) 3214-0257
e-mail: comunicacaosocial@sipam.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email cartografia.gif