Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Sipam reforça parceria entre Brasil e Peru

Notícia

Sipam reforça parceria entre Brasil e Peru

O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), em articulação com a Força Aérea Brasileira e a Força Aérea Peruana, irá coordenar a realização de missão aérea inédita para a coleta de imagens de uma área de interesse na fronteira entre os dois países. Essa missão vai permitir desenvolver projetos relacionados a sensoriamento remoto e recursos hídricos, visando beneficiar toda a região. A proposta é utilizar os aviões brasileiros R99B, nos quais há sistemas sensores de imageamento por radar, sistemas sensores multiespectrais (termal e óptico) e de vigilância.

O projeto envolve mais do que a obtenção de dados. Na busca da máxima eficiência na integração das informações serão realizados no Brasil cursos de capacitação dos técnicos peruanos nas áreas de processamento e extração de informações dos produtos gerados pelos sistemas sensores das aeronaves do Sipam. A decisão foi tomada em reunião realizada nos dias 25 e 26 de setembro no Centro Técnico e Operacional do Censipam em Porto Velho (CTO/PV), envolvendo técnicos do Brasil e do Peru.

Outro resultado obtido na reunião foi o reforço das parcerias firmadas entre instituições brasileiras e peruanas para a troca de experiências entre técnicos e intercâmbio de dados e informações nas áreas de sensoriamento remoto e recursos hídricos. Ficou acertado que a Agência Nacional de Águas (ANA), pelo lado brasileiro; e o Servicio Nacional de Meteorologia y Hidrologia (SENAMHI), no Peru, irão implantar um processo de cooperação geral com ênfase no intercâmbio sistemático de informações hidrológicas.

O chefe da delegação peruana, o conselheiro Gustavo Figueroa, avaliou que foi bastante positivo o resultado da reunião, a qual irá fortalecer a cooperação em matéria de proteção da Amazônia, aspecto que um dos pilares em que se sustenta a Aliança Estratégica entre Peru e Brasil. Brasil e Peru também decidiram integrar esforços no desenvolvimento de tecnologia binacional para defender a Amazônia. A idéia é preparar projetos conjuntos para o desenvolvimento de sistemas baseados em software livre com foco em atividades operacionais de proteção ambiental, controle territorial, planejamento e controle de atividades de campo, recursos hídricos, meteorologia, entre outras possibilidades. Brasil e Peru irão buscar a parceria de outros países da região para a realização desse projeto e apresentar a proposta a organismos internacionais para alavancar a captação de recursos que permitam impulsionar a ação.

As negociações serão lideradas pelo Censipam, órgão da Casa Civil da Presidência da República. Segundo o Diretor Geral do Censipam Marcelo Lopes “esta parceria permite uma efetiva troca de dados e conhecimento entre os países, cria a possibilidade de obtenção de recursos externos através da apresentação de projetos conjuntos aos órgãos multilaterais e, do ponto de vista brasileiro, apóia a política de fortalecimento das relações entre os vizinhos da América do Sul”. 

Brasil e Peru têm 2.995 quilômetros de fronteira e uma intensa integração hidrológica. O rio Amazonas, por exemplo, tem a sua nascente nos Andes peruanos. A reunião entre técnicos do Peru e do Brasil realizada em Porto Velho é um dos resultados da missão brasileira que esteve em Lima no início de julho. Na ocasião, o ministro de Defesa do Peru, Allan Wagner, afirmou que há muito interesse na experiência brasileira de concepção e construção do Sipam e, em instalar um sistema semelhante no Peru, ou seja, implantar o Sipam peruano.

A Amazônia peruana é um território com mais de 700 mil quilômetros quadrados, ou seja, representa 61% da área total do país.

Ascom/Censipam