Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Sipam distribui previsão do tempo para o trimestre

Notícia

Sipam distribui previsão do tempo para o trimestre

{mosimage} As informações sobre o clima do trimestre foram divulgadas esta semana no boletim climático da Amazônia, elaborado pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) em parceria com outros órgãos. Os Centros Regionais do Sipam em Manaus, Porto Velho e Belém distribuíram as informações em encontros abertos a jornalistas e à comunidade.

Amazonas e Roraima
 
As chuvas durante o trimestre (maio, junho e julho) em Manaus devem ocorrer dentro do esperado. Para maio a previsão é de que o volume de chuva fique entre 181 e 256 mm, em junho os valores devem apresentar-se entre 83 e 118 mm e no mês de julho entre 32 e 92 mm.
 
Segundo as informações do boletim, em maio ainda devem ocorrer pancadas de chuva, acompanhadas de trovoadas, situação semelhante à ocorrida durante as últimas semanas.
 
“Maio é considerado um mês de transição, ou seja, saímos da estação chuvosa para a seca, sendo que as condições meteorológicas podem se apresentar com características da estação que se encerra (dias com bastante nebulosidade e chuva com trovoadas), e da estação que se inicia (perídoso com chuvas isoladas e poucas nuvens). A partir de junho as chuvas podem ficar mais escassas, caracterizando a estação seca”, informou a meteorologista do Sipam Ana Cleide Bezerra.

As temperaturas deverão ficar cerca de 1º a 2ºC acima da média em todo o estado, normalmente neste período as mínimas ficam entre 22º e 24°C, durante as madrugadas, e as máximas entre 30º e 32ºC no início das tardes.

Para o extremo noroeste e oeste do Amazonas, abrangendo os municípios de São Gabriel da Cachoeira, Iauarete, São Paulo de Olivença e Tabatinga, a previsão é de que as chuvas ocorram acima dos padrões climatológicos, e os maiores valores de chuva devem ser registrados nos meses de junho e julho. Nas demais áreas, a chuva deve ocorrer dentro dos padrões climatológicos.

A meteorologista, Ana Cleide Bezerra, informou ainda que de acordo com as análises de dados observacionais e prognósticos de modelos numéricos para a Temperatura da Superfície do Mar (TSM), as águas anomalamente aquecidas na região do oceano Pacífico equatorial (área onde são identificados eventos de El Niño) tenderão progressivamente nos próximos meses para um padrão próximo do normal. Com relação ao Atlântico Tropical Norte, espera-se o predomínio de anomalias positivas de TSM, o que deverá influenciar o clima e especialmente a precipitação em grande parte da Amazônia, notadamente nas áreas norte e leste da região.

Acre, Mato Grosso e Rondônia

A aproximação da estação seca no sul da Amazônia trará a predominância de massas de ar seco, poucas chuvas e temperaturas mais altas para o próximo trimestre em Rondônia, Acre e Mato Grosso, apesar da ocorrência de algumas friagens. De acordo com a previsão climática da meteorologia, o fenômeno El Niño está enfraquecendo e já não influencia o clima no estado, entretanto, o aquecimento anormal do oceano atlântico, com acréscimo de 1ºC a 1,5ºC na costa brasileira, inibirá ainda mais a formação de nuvens nos céus da região. Por isso, as chuvas deverão ocorrer abaixo dos padrões climatológicos na porção norte do Mato Grosso e em todo o estado de Rondônia. Nas demais áreas desses estados e no Acre, a chuva deverá ocorrer dentro dos padrões climatológicos.

Com o céu claro, a temperatura fica naturalmente mais alta no período, entretanto, este ano poderá ser ainda maior em grande parte da região amazônica, com exceção do leste do Acre e oeste e sul dos estados de Rondônia e Mato Grosso. Mesmo assim, alguns dias de alívio poderão ser sentidos graças aos eventos de friagens, caracterizados pela entrada de ar frio e a brusca queda de temperatura.

Em maio, ainda chegam ao sul da Amazônia massas de ar úmido aliadas à frente fria, causando chuvas. Já a partir de junho, predominam as massas de ar seco, que dificultam a formação de nebulosidade e favorecem grandes amplitudes de temperatura, com madrugadas frias e tardes quentes. Também merece atenção a baixa umidade relativa do ar, que nos horários mais quentes do dia poderá atingir valores abaixo de 30% nos estados de Rondônia e Mato Grosso.


Amapá, Maranhão e Pará e Tocantins

Segundo o meteorologista Marcio Nirlando Lopes, de Belém,  o centro Sul da Amazônia Oriental deverá apresentar volume de chuvas dentro do normal, porém o Amapá, norte do Pará e noroeste do Maranhão apresentarão um trimestre chuvoso devido, principalmente, ao aquecimento das águas superficiais do oceano Atlântico equatorial e ao declínio do fenômeno El Niño. Maio ainda será marcado por chuvas rápidas  e intensas na Região Metropolitana de Belém (RMB). Essas chuvas deverão vir acompanhadas também de rajadas de ventos fortes e trovoadas. Assim, são esperados mais de 400 mm de chuva na RMB apenas no mês de maio.

Assessoria de Comunicação Social do Sipam
Telefone: (61) 3214 0257 e (61) 3214 0296
e-mail: comunicacaosocial@sipam.gov.br