Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Órgãos unem esforços para restaurar matas ciliares

Notícia

Órgãos unem esforços para restaurar matas ciliares

Uma reunião na manhã da última terça-feira (11) marcou mais um passo do trabalho conjunto de órgãos estaduais e do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) para a recuperação de matas ciliares no município de Ouro Preto d'Oeste. O desmatamento em nascentes e nas áreas de preservação permanente (APPs) já prejudica a captação de água que abastece aquela região, principalmente em épocas de verão amazônico. A reunião teve como objetivo definir o que cada órgão vai fazer para reverter esse quadro e promover o reflorestamento.

Segundo a Divisão de Proteção Ambiental, do Centro Técnico e Operacional (CTO) de Porto Velho, unidade local do Sipam, a água que a Caerd (Companhia de Águas e Esgostos de Rondônia) capta em alguns pontos de Ouro Preto d'Oeste está diminuindo ano a ano devido o desmatamento das nascentes e das matas ciliares. A reunião foi mais um passo importante na recuperação do Alto da Bacia do Rio Boa Vista, que integra o manancial de capitação de águas do município.

Na divisão de trabalho, o Sipam ficou responsável pelo monitoramento remoto (por imagem de satélite) da bacia e pela criação de um banco de dados com informações sobre a qualidade e a quantidade de água em todos os cursos d'água da localidade.

 O Ministério Público Estadual (MPE), através da Promotoria de Meio Ambiente, fará audiências públicas anuais para avaliação do reflorestamento. “Em uma audiência pública realizada no mês passado em Ouro Preto, firmamos acordos com todos os 27 proprietários que desmataram as matas ciliares de suas propriedades. Vamos acompanhar o cumprimento dos acordos e fiscalizar”, ressalta o promotor Aluildo Leite.

 A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) fará a fiscalização, o cadastramento de usuários de água e dará apoio ao monitoramento da qualidade hídrica daquela bacia.

A Ceplac orientará os proprietários para o reflorestamento e a Emater dará assessoria a eles na elaboração de seus planos de reflorestamento, que serão individualizados por propriedade.

Já a Caerd fará o monitoramento da qualidade da água, instalação de régua linimétrica (medição do nível d'água) e de pluviômetros (medição da chuva), além da compra de sementes. A Prefeitura de Ouro Preto vai cultivar as sementes em seus viveiros, gerando mudas para o reflorestamento.

A próxima etapa é formalizar um acordo de cooperação técnica entre as instituições. O representante do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Fernando Scardua, abriu a reunião por videoconferência e afirmou que o MMA está interessado em apoiar as ações estaduais na restauração de matas ciliares.

Ascom/CTO-PV