Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Notícias sobre cartografia / Cartografia da Amazônia

Notícia

Cartografia da Amazônia

 Em 10 de setembro de 2008, o governo federal lançou, em Manaus, o Projeto Cartografia da Amazônia. Coordenado pelo Censipam  e executado pelo Exército,  Marinha,  Aeronáutica e o Ministério de Minas e Energia, através da CPRM (Serviço Geológico do Brasil), o Projeto tem como objetivo concluir as cartografias terrestre, geológica e náutica dos 35% do território da região da Amazônia sem informações na escala de 1:100.000. A proposta de acabar com os “vazios cartográficos” contribuirá no desenvolvimento econômico, social e na proteção da região amazônica.

Dos 5,2 milhões de quilômetros quadrados da Amazônia Legal, 1,8 milhão de quilômetros quadrados não há informações cartográficas na escala 1:100.000. Esses vazios concentram-se nos estados da Amazônia, Pará, Amapá, Mato Grosso e parte do Acre, Maranhão e Roraima.

As cartografias já estão auxiliando no planejamento e execução dos projetos de infraestrutura como rodovias, ferrovias, gasodutos e hidrelétricas, além da demarcação de áreas de assentamentos, áreas de mineração, agronegócio, elaboração de zoneamento ecológico, econômico e ordenamento territorial, segurança territorial, escoamento da produção e desenvolvimento regional. As informações ajudarão no conhecimento da Amazônia brasileira e na geração de informações estratégicas para monitoramento de segurança e defesa nacional, em especial áreas de fronteiras.

O projeto destinou recursos para investimentos como: modernização dos sistemas de aquisição e processamento de dados de aeronaves especializadas em sensoriamento remoto, software e hardware para o tratamento e processamento dos dados e imagens, capacitação de recursos humanos e a ainda a construção de 5 navios hidrográficos para realizar a cartografia náutica.

Destes investimentos, a Força Aérea, em 2011, realizou a substituição do sistema de gravação de dados das 3 aeronaves R99, iniciou a modernização do software Ground Sar Processor (GSP), adquiriu software de processamento de imagens e a máquina digital aerofotogramétrica ADS-80.  A revitalização das aeronaves R99 e a entrada em operação das Aeronaves R35A, com o sensor ADS80, possibilitaram o início dos levantamentos da área de não floresta do vazio cartográfico terrestre em 2013, em conjunto com o Exército.