Você está aqui: Página Inicial / Notícias / No Centro de Porto Velho cria sala de situação para discutir período seco

Notícia

No Centro de Porto Velho cria sala de situação para discutir período seco

{mosimage}Porto Velho (27/06/2011) - O início do período seco na Amazônia Ocidental, conhecido como verão amazônico, foram discutidos na semana passada, no Centro Regional de Porto Velho, durante a primeira reunião da sala de situação que foi montada exclusivamente para discutir o tema.
 
Participaram da reunião os gestores de recursos hídricos que atuam nos Estados de Rondônia e Acre, Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Agência Nacional de Águas (ANA), Marinha, Defesa Civil - representada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia, Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Sociedade de Operações de Portos e Hidrovias de Rondônia (SOPH/RO), Universidade de Rondônia (UNIR), Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd), Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA).
 
De acordo com a coordenadora da área de Operações do Sipam de Porto Velho, Ana Strava, essas reuniões devem se repetir ao longo da estação. “Montamos esse espaço para discutirmos os eventos decorrentes da estação seca, que na Amazônia Ocidental ocorre de maio a outubro. O Sipam irá disponibilizar os estudos da área de meteorologia e hidrologia, em conjunto com a CPRM, para produzir prognósticos e apoiar a gestão das atividades dos parceiros”, informou Ana.
 
Uma das deliberações do grupo, acertadas durante o encontro, foi a realização de uma reunião mensal para o período de vazante. “Também definimos que todos podem ser convocados a cada 10 dias, caso o nível do rio Madeira entre na zona de alerta de vazantes, ou seja, cotas com alturas inferiores à permanência de 90% dos registros históricos. Essas reuniões devem ser agendadas até o mês de outubro que é tipicamente o mês da transição para o novo período chuvoso”, disse Ana.
 
A prevenção é o maior ganho dessas reuniões periódicas realizadas entre os parceiros públicos, que podem criar as ações para minorar os impactos das vazantes extremas dos rios amazônicos. O Sipam emprega seus recursos humanos, tecnológicos e de articulação para trazer conhecimento aos parceiros.

Para as reuniões, o Sipam disponibiliza suas instalações e o sistema de videoconferência no intuito de permitir a participação remota de agentes públicos em Brasília ou nos demais Centros Regionais. O próximo encontro será realizado no dia 12 de julho.

Texto: Karen Leão
Foto: Arquivo Sipam
Assessoria de Comunicação Social
Ministério da Defesa
(61) 3312-4070 / 4071