Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Militares do Equador visitam o Censipam

Notícia

Militares do Equador visitam o Censipam

Liderados pelo Chefe do Comando Conjunto das Forças Armadas do Equador, Cláudio Fábian Varela Moncayo, os militares conheceram as atividades realizadas pelo Sipam.
Equipe de militares equatorianos visitou o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), em Brasília, nesta terça-feira, 24 de junho. Liderados pelo Chefe do Comando Conjunto das Forças Armadas do Equador, General-de-Divisão Cláudio Fábian Varela Moncayo, os militares conheceram, com detalhes, as atividades realizadas pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), focadas nas áreas de Inteligência, Banco de Dados, Proteção Ambiental, Sensoriamento Remoto e Infra-estrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC). Além de Varela Moncayo, participaram da visita ao Censipam representantes das Forças Terrestre, Naval e Aérea do Equador.

O grupo de militares equatorianos foi recebido pelo Diretor-Geral do Censipam, Marcelo de Carvalho Lopes, e pelo Diretor Técnico e Operacional, Wougran Soares Galvão. Lopes apresentou informações sobre a criação do Sipam, remetendo ao início dos anos 90, quando da criação do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam). O Diretor-Geral destacou que o projeto teve investimento total de US$ 1,3 bilhão, mas ressaltou que a maior parte dos recursos encontra-se atualmente sob a gestão da Força Aérea Brasileira. Trata-se dos investimentos de US$ 1,03 bilhão do Sivam que deram origem ao IV Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta IV). A parcela restante de US$ 273 milhões permitiu a criação do Sipam, ligado à Casa Civil da Presidência da República.

Lopes mostrou detalhes de ações realizadas pelo Sipam como resultados de análises de inteligência das rotas aéreas na Amazônia que ajudam órgãos parceiros como a Polícia Federal a identificar tráfegos suspeitos e pistas de pouso clandestinas. Na área de meio ambiente, um destaque foi o apoio do Sipam a ações de combate à derrubada de florestas, como a missão que está em plena execução para realizar o mapeamento dos 36 municípios líderes em desmatamento, atendendo pedido do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

O Chefe do Comando Conjunto das Forças Armadas do Equador demonstrou interesse nas atividades realizadas pelo Sipam. Varela Moncayo disse que é importante a troca de informações entre os diversos países que tem áreas inseridas na Amazônia, visando uma proteção conjunta da região. A Amazônia equatoriana se estende sobre uma área de 120 mil quilômetros quadrados, quase a metade do total da área do país, que é de 256 mil quilômetros quadrados. Uma das principais rotas turísticas do Equador, por exemplo, é o Rio Napo, um dos grandes afluentes do rio Amazonas.

{mosimage}


Ascom/Censipam