Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Censipam completa 12 anos de atividades na proteção da Amazônia

Notícia

Censipam completa 12 anos de atividades na proteção da Amazônia

Na manhã de hoje (16), os servidores do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) comemoraram 12 anos de atividades da instituição.
Aniversário do Censipam

Aniversário do Censipam

Na manhã de hoje (16), os servidores do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) comemoraram 12 anos de atividades da instituição. Na solenidade, o secretário-geral do Ministério da Defesa, Ari Matos, e o diretor-geral do Censipam, Rogério Guedes, ressaltaram as conquistas nesse período.

 “A Secretaria Geral do Ministério da Defesa reconhece o trabalho do Censipam. Um trabalho de excelência e essencial para a consolidação da Amazônia”, disse Matos em seu discurso, assistido pelos servidores dos Centros Regionais do Censipam por videoconferência. Rogério Guedes fez um balanço das atividades no período e reafirmou o trabalhou de parceria com as instituições na proteção da região amazônica. “Nessa curta trajetória estamos trilhando um caminho sólido junto aos parceiros, com apoio do Ministério da Defesa e com empenho decisivo de nossos servidores”, enfatizou o diretor-geral.

Durante a cerimônia, Guedes destacou a importância das parcerias, nacionais e internacionais. Citou como exemplo o acordo que será firmado com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para o desenvolvimento de projetos na área de meteorologia, descargas atmosféricas, monitoramento hidrológico, mineração de dados.“ Esse acordo ampliará as nossas pesquisas. Hoje, temos 26 em andamento”, completou. Disse ainda que há 657 antenas de comunicação via satélite, instaladas em áreas remotas da Amazônia, levando comunicação. É o caso das antenas para cadastrar pessoas de baixa renda no programa Bolsa Família.

O diretor também falou dos resultados do Projeto da Cartografia da Amazônia, que acabará com o vazio cartográfico de 1,8 milhões de quilômetros quadrados. Segundo ele, os dados produzidos pelas cartas já estão criando mapas temáticos, mapas de suscetibilidade e já atualizaram várias cartas náuticas dos rios amazônicos. Guedes ressaltou que com os recursos financeiros do Projeto, a Aeronáutica concluiu a modernização das aeronaves R99, a Marinha recebeu 4 avisos hidrográficos (o último navio será entregue esse ano) e o Exército construiu um centro de processamento de imagens.

Por último, o diretor-geral citou que mês que vem chegará a estação de processamento das imagens do sensor aerotransportado ADS 80. “Com a aquisição, vamos reduzir de 20 para um dia o tempo necessário para decodificação de cada hora de imagem coletada pelo sensor”. A aquisição ampliará a capacidade de decodificar as imagens com mais celeridade.  Atualmente, existe apenas uma estação que processa imagens geradas pelo ADS-80, que está localizada em Recife, atendendo todas as demandas brasileiras de imageamento de alta resolução espacial realizadas pelas aeronaves R35-A da Força Aérea Brasileira.