Você está aqui: Página Inicial / Matérias publicadas 2020 / Censipam e Inpe se reúnem para integrar dados para proteção da Amazônia

Notícia

Censipam e Inpe se reúnem para integrar dados para proteção da Amazônia

Objetivo é integrar ferramentas de monitoramento territorial para combate a crimes ambientais na Amazônia

Por Willian Cavalcanti

Censipam e Inpe se reúnem para integrar dados para proteção da Amazônia

Censipam e Inpe se reúnem para integrar dados para proteção da Amazônia

Brasília, 24/04/2020 – Visando à integração de ferramentas de monitoramento territorial para combate a crimes ambientais na Amazônia, representantes do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) se reuniram nesta sexta-feira (24/4), por videoconferência.

O Inpe é responsável pelos dados de desmatamento no país, por meio dos sistemas DETER e PRODES, e o Censipam foi designado como coordenador da subcomissão de Integração de Sistemas do Conselho da Amazônia. O conselho conta com a participação de 14 ministérios, inclusive o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), órgão ao qual o Inpe é subordinado.

O Inpe utiliza satélites óticos para detectar o desmatamento e o Censipam emprega satélites com radar de abertura sintética (do inglês synthetic aperture radar: SAR). A tecnologia SAR é capaz de captar imagens do terreno mesmo que ele esteja sob as nuvens.

“Nossos sistemas são complementares e podem ser conjugados de forma a operacionalizar melhor as ações de combate aos crimes na Amazônia. O Censipam possui grande infraestrutura e dados que podem ser aproveitados pelos nossos parceiros, como o Inpe”, disse o diretor-geral do Censipam, José Hugo Volkmer.

O Inpe deverá ceder um servidor para participar de equipe multidisciplinar sediada no Censipam para integrar diferentes bases de dados e informações para direcionar as ações do Conselho da Amazônia. Além do Inpe, servidores de outros órgãos, como Ibama, Funai e ICMBio, devem integrar o grupo visando à unificação de esforços para priorização de áreas de interesse na Amazônia Legal.