Você está aqui: Página Inicial / Estão abertas as inscrições para o 4º Seminário de Monitoramento Integrado

Notícia

Estão abertas as inscrições para o 4º Seminário de Monitoramento Integrado

Também está aberta a submissão de trabalhos científicos. O seminário será realizado de 18 a 19 de setembro, em Porto Velho (RO)

Por Willian Cavalcanti

Abertas inscrições para o 4º Seminário

Abertas inscrições para o 4º Seminário

Porto Velho, 02/05/2019 – Estão abertas as inscrições para o 4º Seminário de Monitoramento Integrado com Radar Orbital, que será realizado de 18 a 19 de setembro, Porto Velho (RO). O seminário vai debater o uso de tecnologia que permite observar a superfície terrestre através das nuvens em períodos de clima fechado. Essa é a primeira vez que Porto Velho recebe um evento da área.

O seminário faz parte do Projeto Amazônia SAR, realizado pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). Também estão abertas as inscrições para submissão de trabalhos científicos (posters) que serão apresentados durante o evento.

“O Seminário de Monitoramento Integrado com Radar Orbital é uma oportunidade de disseminar o uso de imagens radar no monitoramento florestal e outras aplicações”, afirma Péricles Cardim, diretor de produtos do Censipam.

O evento deve contar com a participação de diversas instituições da região Norte e também pesquisadores de agências espaciais e empresas estrangeiras. O público-alvo são gestores públicos e privados, comunidade científica, especialistas e representantes de órgãos federais, estaduais e municipais com atuação na Amazônia.

Acesse o site do seminário: seminario.sipam.gov.br

Imagens de radar
O seminário faz parte do projeto Amazônia SAR, que desenvolveu um sistema para combate ao desmatamento na Amazônia em períodos que anteriormente se tinha dificuldade de acesso, principalmente na época de chuva.

O trabalho do Censipam complementa o monitoramento realizado por sistemas óticos, que não conseguem ver através das nuvens. O radar orbital do projeto Amazônia SAR emite pulsos de rádio, que geram imagens SAR. O termo SAR vem do inglês Synthetic Aperture Radar, que significa Radar de Abertura Sintética.

Utilizada para monitorar cerca de 950 mil km2 por mês, a tecnologia não depende da luz do sol e tem a vantagem de ultrapassar a barreira de nuvens, permitindo a detecção do desmatamento no período chuvoso, que se estende de outubro a abril.

Com base nas imagens do radar, o Censipam envia alertas para órgãos de fiscalização, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).