Você está aqui: Página Inicial / Censipam realiza manutenção de antenas em terras indígenas

Notícia

Censipam realiza manutenção de antenas em terras indígenas

Técnicos do Censipam têm que acessar locais de difícil acesso para realizar a manutenção de antenas em comunidades indígenas

Por Willian Cavalcanti/CR-PV

Técnico do Censipam realiza manutenção de antenas em terras indígenas

Técnico do Censipam realiza manutenção de antenas em terras indígenas

Porto Velho, 18/04/2019 - Na última semana, de 8 a 16 de abril, a Divisão de Manutenção do Centro Regional de Porto Velho (CR-PV) realizou a manutenção de antenas de comunicação via satélite (V-Sat) em terras indígenas no interior do Acre. As antenas estavam localizadas na Bape D’ouro e na Bape de Xinane. Bape é a sigla utilizada para denominar a Base de Proteção Etnoambiental da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Com apoio de agentes da Funai e da Casa de Apoio à Saúde Indígena (CASAI), o supervisor da Divisão Logística e Manutenção do CR-PV, Flávio dos Santos Gil, realizou o levantamento patrimonial e manutenção das V-Sat.

“É a segunda vez que realizo tarefas na Bape D’ouro e foi constatado que a antena deverá ser trocada. Na Bape Xinane, fizemos a manutenção na antena”, disse Gil. O trabalho faz parte da parceria do Censipam com a Funai para disponibilizar comunicação entre as comunidades indígenas.

O difícil acesso às bases da Funai é um dos fatores que mais dificulta as vistorias. Segundo o supervisor, por fatores da natureza, os meios de transporte se tornam muito escassos. Nos casos que utilizam voos comerciais para sair da capital Porto Velho, o número de ferramentas e equipamentos é limitado.

“Nesta missão, a Casai disponibilizou um helicóptero para dar acesso aos locais onde se encontram as V-Sats. Mas normalmente o percurso é feito de barco e depende do nível do rio para ser realizado”, relatou.

O supervisor disse que ir da Bape de Xinane e para o município de Feijó foi o trecho mais cansativo. “Percorremos o Rio Envira por 12 horas, fizemos refeições na beira do rio, e levamos um dia e meio para chegar à cidade”, contou.