Você está aqui: Página Inicial / Censipam faz parceria com FAB para operação de satélites

Notícia

Censipam faz parceria com FAB para operação de satélites

Censipam utiliza satélites para monitoramento territorial e ambiental da Amazônia

Por Willian Cavalcanti

Censipam faz parceria com FAB para operação de satélites

Censipam faz parceria com FAB para operação de satélites

Brasília, 21/08/2019 – O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) debateu com o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) da Força Aérea Brasileira (FAB), nesta quarta-feira (21/8), a operação e uso de imagens de satélite para monitoramento territorial e ambiental da Amazônia. A conversa foi realizada durante visita de comitiva liderada pelo comandante do COMAE, Tenente-Brigadeiro José Magno Araújo, à sede do Censipam, em Brasília (DF).

O diretor-geral, Major-Brigadeiro José Hugo Volkmer, mostrou o trabalho do Censipam no monitoramento do desmatamento, garimpo e narcotráfico na Amazônia. Volkmer destacou que o Censipam pretende realizar o mapeamento completo da região utilizando tecnologia de radar de abertura sintética (SAR). “A partir deste mapeamento inicial, teremos uma base para fazer comparações e verificar com precisão as mudanças na floresta”, disse o diretor-geral.

O Censipam adquiriu duas antenas de recepção multissatelital para aperfeiçoar o monitoramento da floresta. A primeira antena, instalada em Formosa (GO), deve entrar em operação até o final deste ano. A segunda será instalada em Manaus (AM) e entra em operação no início de 2020.

A partir deste ano, o Censipam passa a utilizar imagens SAR captadas pela constelação de microssatélites da empresa finlandesa ICEYE. As imagens foram contratadas pela Força Aérea Brasileira e serão recebidas diretamente nas antenas do Censipam. A empresa já lançou três satélites e tem previsão de operar mais quatro no próximo ano.

“Estamos capacitando nossos militares a operar essas novas tecnologias que estão sendo disponibilizadas a cada dia. Mas nosso objetivo é que o Brasil possa ter em breve a sua própria constelação de satélites óticos, radares e de comunicação”, afirmou o Tenente-Brigadeiro Araújo.

“Temos o compromisso de realizar o monitoramento ambiental e territorial da Amazônia. E sabemos que, por não sofrer interferência das nuvens, a tecnologia SAR é a mais indicada para essa missão. A FAB está sendo uma grande parceira nesse trabalho”, concluiu o diretor-geral do Censipam.