Você está aqui: Página Inicial / Censipam busca parceria com ONU para combate ao cultivo de drogas na Amazônia

Notícia

Censipam busca parceria com ONU para combate ao cultivo de drogas na Amazônia

Censipam iniciou estudos para monitoramento de ações ilícitas com uso de imagens de satélite

Por Willian Cavalcanti

Censipam busca parceria com ONU

Censipam busca parceria com ONU

Brasília, 17/07/2019 – Com o objetivo de combater o cultivo e tráfico de drogas na fronteira amazônica, o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) recebeu, nesta quarta-feira (17/7), em Brasília (DF), representantes do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

O Censipam busca desenvolver um sistema que detecte o plantio de substâncias ilícitas por meio de imagens de satélite com radar de abertura sintética (SAR). A tecnologia SAR consegue captar imagens do terreno através das nuvens e pode ser utilizada durante dia ou noite.

A partir da expertise do Censipam no uso de imagens SAR, estão sendo fomentados projetos de pesquisa em parceria com instituições de ensino para desenvolver tecnologia de detecção de cultivos irregulares.

O diretor-geral do Censipam, José Hugo Volkmer, afirmou que a instituição deve focar esforços no combate a atividades ilícitas na Amazônia. “A detecção automática das áreas de plantio de coca e maconha são prioridades para nós. Estamos desenvolvendo projetos nessa área e buscamos parceiros que possam colaborar com este trabalho”, disse Volkmer.

“Os escritórios do UNODC no Peru, Colômbia e Bolívia têm uma expertise muito grande no monitoramento do cultivo de substâncias ilícitas e podem auxiliar o Censipam na análise e cruzamento de informações”, disse o diretor do UNODC no Brasil, Nívio Nascimento.

“Essa é uma situação que não se enfrenta de maneira isolada. É preciso unir forças com os vizinhos amazônicos para o enfrentamento desse problema e entender a economia da droga”, completou o diretor do UNODC.

Desde 1990, o UNODC atua em colaboração com o governo brasileiro para cumprimento de obrigações das convenções da ONU sobre controle de drogas. O órgão se baseia em convenções internacionais contra crime organizado transnacional, corrupção e terrorismo.